X

Caçadores de Emoção – Além do Limite 3D

Remake eleva o bromance radical

Por Rafael Sanzio - 30 Jan 2016 às 11:45h

Caçadores de Emoção – Além do Limite é um remake do filme de 1991 estrelado por Keanu Reeves e Patrick Swayze. O trailer do filme original já demonstra o naipe da produção e esse novo filme, dirigido por Ericson Core não foge da triste falta de profundidade e de boas atuações.

 

A história acompanha Johnny Utah (Luke Bracey), um ex-atleta de esportes radicais que após uma tragédia decidiu buscar o caminho da disciplina entrando no FBI. Quando uma série de crimes ousados começam a desafiar a agência, Utah perceberá que deverá entrar novamente no mundo dos esportes radicais para solucionar o caso.

 

Pelo menos os roteiristas Kurt Wimmer, Rick King e W. Peter Iliff perceberam que era bem mais crível um atleta de esportes radicais virar um agente do FBI do que um agente do FBI virar um atleta de esportes radicais. Porém, os escritores desse filme parecem ter ficado presos em um filme de ação dos anos 90, com direito a uma sequência de abertura digna de Risco Total (1993). Além disso, ficamos como os agentes do FBI graduados, achando toda a trama principal para a motivação dos criminosos simplesmente ridícula. Este é um dos principais problemas da produção, não conseguimos ter empatia pelos criminosos, coisa que eles tentam criar colocando-nos no lugar de Utah – mas não funciona, é muita baboseira.

 

Estamos bem acostumados com “vilões” que cria uma empatia com o protagonista e assim tentar ensinar algo para o herói ou voltá-lo para seu lado. Mas o bromance que foi desenvolvido entre Utah e Bodhi (Edgar Ramírez) é constrangedor, principalmente pelo fato de não ter ousado. O que quero dizer com isso? Mantenha toda a história, mas acrescente um real romance entre os dois, a história seria bem mais trágica e significativa. Ao invés disso há um outro relacionamento que é finalizado de uma forma sem sentido.

 

 

A única coisa que se salva na produção, e pouco, são as cenas de esportes radicais aliadas ao 3D, o efeito é bem bacana. Contudo, e mesmo utilizando dublês profissionais, há cenas toscas com efeitos especiais mais toscos com a utilização de inserção de feições dos atores em corpos que não são deles – como aconteceu em Antes de Partir (2007).

 

Fora isso, temos uma atuação nada empolgante de Luke Bracey, o que dá pena, porque parece mesmo que ele está se esforçando. O resto da galera está caricata e Edgar Ramírez está perdido nessa bomba e tenta trazer uma interpretação condizente com seu tosco personagem.

 

Caçadores de Emoção – Além do Limite é um filme lançado na época errada e traz um desastroso enredo sem graça. Fica até mesmo a surpresa por um filme tão insípido ter chamado a atenção, provavelmente isso aconteceu pelo marketing gritar “Keanu Reeves” algumas vezes.

 

1.7

Horrível

Prós
  • Há de se convir que algumas cenas de esportes radicais são bem feitas e dirigidas
Contras
  • A maioria dos efeitos especiais são toscos, principalmente a sobreposição dos rostos dos atores
  • As atuações estão fracas e Luke Bracey se esforça, mas não é um bom protagonista
  • O bromance poderia ter sido bem mais aproveitado se fosse realmente um romance
  • A história é ridícula e construída de forma sem graça

1.7

Horrível

Prós
  • Há de se convir que algumas cenas de esportes radicais são bem feitas e dirigidas
Contras
  • A maioria dos efeitos especiais são toscos, principalmente a sobreposição dos rostos dos atores
  • As atuações estão fracas e Luke Bracey se esforça, mas não é um bom protagonista
  • O bromance poderia ter sido bem mais aproveitado se fosse realmente um romance
  • A história é ridícula e construída de forma sem graça
Antes de Watchmen: Espectral
Antes de Watchmen: Espectral
Antes de Watchmen: Espectral
Críticas