X

Zootopia: Essa Cidade é o Bicho 3D

Diversidade, preconceito, segregação e bom humor

Por Rafael Sanzio - 17 Mar 2016 às 18:29h

Alguém se lembra de um conto sobre o leão e o rato? Me lembro de dois, ambos falam da arrogância do leão e que depois ele ou é pego em uma rede ou uma farpa fica presa em sua pata e o rato consegue salvar o leão. Moral da história? Todos nós temos o nosso valor, sejamos pequenos ou grandes. A animação Zootopia: Essa Cidade é o Bicho traz de volta esse ensinamento, contudo, dando espaço para as discussões sobre diversidade e preconceito.

 

A história acompanha a coelhinha Judy Hopps que desde filhote sonha em ser uma policial. Desafiando todos e tudo que lhe ensinaram, ela consegue seguir adiante e virar uma servidora da lei em Zootopia. O problema é que nem tudo é como ela imaginava e ela se verá aliando-se a uma raposa, Nick Wilde, para desvendar um grande mistério que pode deixar a cidade no maior caos.

 

Não se engane pela aparência fofinha e pela marca Disney. O roteiro de Jared Bush e Phil Johnston consegue fazer um paralelo inteligente entre a sociedade e política animal com a humana. Um dos pontos mais fortes é a diversidade e ela está bem presente na personagem Judy Hopps, uma protagonista feminina forte (em personalidade), capaz, mas não isenta de falhas. Isto que é interessante na trama, ela aborda a temática das diferenças entre os animais, principalmente predadores e presas, mas não transforma o mundo em algo preto e branco como a própria sociedade quer pintar. Sabe aquele conto lá em cima? E se por acaso o rato, para se vingar, não espalhou farpas no caminho do elefante ou preparou o caminho para que o felino caísse na armadilha? O que aparentamos, com certeza não é o que nos define, e sim nossas ações.

 

 

A história também entrega muitas referências a cultura pop e adaptações dos costumes humanos para o universo da animação, fazendo com que a produção seja uma daquelas que se você assistir de novo verá algo diferente da última vez. A trama por si só pega um pouco daquela velha fórmula da dupla totalmente diferente, um certinho e um malandro, contudo, ela se desenvolve de uma forma inesperada no sentido que há menos comédia e mais ação e suspense.

 

Ação e suspense essa que poderiam passar sem o 3D, que só deixa a animação mais escura e não tem lá muita utilidade. Quanto aos gráficos, Zootopia é bem feito e capricha no visual dos bichos humanizados – mas ninguém vence a fofura da Judy, só que não é certo chama-la disso, é preconceito... O pessoal também ousou nos “ferimentos”, deixando claro que a pegada da animação não é ser um desenho animado, apesar de ao tratar dos animais naturalistas eles deixam de lado a genitália dos mamíferos.

 

O trabalho dos diretores Rich Moore e Byron Howard, com codireção de Jared Bush é bem competente e entrega cenas divertidas (toda a sequência com as preguiças), com boas piadas, interações. As cenas de ação não são memoráveis e por vezes eles se entregam a típica solução fácil do roteiro, mas o resultado final é bem positivo.

 

Zootopia: Essa Cidade é o Bicho é mais um acerto da Disney, firmando um universo que teve até a hipótese de compartilhar o cenário do desenho animado do estúdio, o Robin Hood (1973). Bem, força para ser uma franquia, pois nem deu para conhecer toda Zootopia e além do mais, o relacionamento entre Nick e Judy é divertidíssimo.

 

9

Incrível

Prós
  • O roteiro faz um ótimo paralelo com a sociedade humana
  • História discute de forma inteligente sobre diversidade, preconceito, intolerância e até um possível relacionamento inter-racial
  • Há diversas cenas divertidas, mas a trama surpreende com o suspense e clima policial
Contras
  • O 3D é bastante dispensável
  • Infelizmente algumas soluções para a história são bem forçadas para entregar um resultado mais infantil
Antes de Watchmen: Espectral
Antes de Watchmen: Espectral
Antes de Watchmen: Espectral
Críticas