X

Dramas tensos disfarçados de histórias infantis

Quem nunca já foi enganado por uma sinopse e imagem fofinhas?

Por Carla Braga - 24 Out 2016 às 16:50h

Com Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls) perto de chegar aos cinemas brasileiros, nos inspiramos em criar uma lista com os filmes infantis mais surpreendentemente tensos e tristes, já que a produção estrelada por Felicity Jones e Liam Neeson parece ser exatamente um deles! O longa, anunciado como um drama fantástico, deverá ser mais triste do que se espera, com a personagem de Jones enfrentando um câncer terminal. Como já fomos pegos de surpresa várias vezes com dramas tensos disfarçados de histórias infantis, compilamos os mais marcantes logo abaixo para vocês entrarem no clima. Vamos lá?

Meu Primeiro Amor

Precisávamos começar esta lista com o clássico da Sessão da Tarde Meu Primeiro Amor (1991). Afinal, o longa, que passa a ideia de ser um romance inocente infantil de início, transforma-se em um drama pesado, que faz qualquer um soluçar – independentemente da sua idade. No começo da história, nos deparamos com a morte da mãe da protagonista e o seu relacionamento distante com o pai, o que já é bastante adulto e complicado por si só, mas, ao final, com o falecimento do seu único e melhor amigo, devido a picadas de abelhas, a garota precisa aprender a lidar com esse aspecto natural, mas doloroso da vida que é a morte. Até hoje a gente não consegue enfrentar a cena do velório sem se emocionar. Mas quem diria que o filme seria tão triste assim com dois protagonistas tão novos e fofinhos?

Bambi

A Disney já possui um histórico em assassinar pais dos protagonistas, mas, em Bambi (1942), levou isso ao extremo ao criar uma cena intensa para matar a mãe do personagem-título. Quando se escuta o fatídico som da arma disparada por um caçador, mesmo sendo um adulto, é impossível não se emocionar ou ficar com o coração na mão. Felizmente, o lado pesado da história é deixado de lado no final quando Bambi se torna o Grande Príncipe da Floresta e tem filhos gêmeos.

Ponte Para Terabítia

Se você também não leu o livro homônimo de Katherine Paterson, que inspirou Ponte Para Terabítia (2007), levou um susto com as reviravoltas dramáticas do filme. A produção parece ser, inicialmente, uma aventura focada na amizade do garoto Jesse e da menina Leslie, vizinhos que, juntos, criam um mundo imaginário chamado Terabítia e passam seu tempo livre em uma casa da árvore abandonada; até que Leslie decide se aventurar por Terabítia sozinha um dia, e a corda, que usava para cruzar o riacho, se rompe e ela morre afogada. Passado o susto (e lágrimas e soluços), o longa tenta nos convencer com uma mensagem positiva de superação, com Jesse construindo uma ponte para Terabítia (vide o título), mas fica difícil superar a tensão dramática criada com a morte de Leslie.

A História Sem Fim

O clássico filme de Aventura épica A História Sem Fim (1990), que já entrou em várias das nossas listas, também não poderia ficar de fora desta por possuir elementos bastante tensos em sua narrativa para uma produção infanto-juvenil. Além da mãe de Bastian, o protagonista, estar morta, Artax, o cavalo do valente guerreiro Atreyu, também falece – e o Nada quase engole o mundo Fantasia! Como um todo, seja no visual ou no roteiro, A História Sem Fim é bem sombria.

O Gigante de Ferro

Baseado no romance The Iron Man, de Ted Hughes, O Gigante de Ferro (1999) foi dirigido por Brad Bird antes do cineasta ter começado a trabalhar com a Pixar. O filme é ambientado em 1957 nos EUA, ou seja, no auge da Guerra Fria e narra a história de um garoto, criado por sua mãe viúva, que encontra um gigante de aço que veio do espaço. O menino precisa, então, impedir que o governo do pais encontre e destrua robô, que acaba se sacrificando ao voar em direção a um míssil para salvar a cidade de Rockwell. O fim trágico é reparado no final, mas aí foi tarde demais – litros e mais litros de lágrimas já foram despejados antes disso.  

Meu Cachorro Skip

Sejamos sinceros: quase todo filme em que o cachorro morre é um dos mais tristes que já vimos ever. Mas uma história como Meu Cachorro Skip (2000), em que o garoto dono do cão precisa assistir ao seu querido melhor amigo morrer, possui outro nível de tristeza, né. Como se isso não bastasse, a última fala da produção ainda é “Para que ele realmente repouse enterrado... Em meu coração”.

Up - Altas Aventuras

Até hoje, Up - Altas Aventuras (2009) é uma das produções mais aclamadas da Pixar – sem falar que o filme está em quase todas as listas de melhores animações de todos os tempos. Mas o longa também contém um drama tenso por trás do seu visual e elementos fofos, principalmente, nos seus dez primeiros minutos, todos permeados pela história linda, mas trágica de Carl e Ellie. Quem é adulto sabe a dor que existe ao perder um ente tão querido como o amor (e principal companheiro) da sua vida.

O Cão e a Raposa

A animação da Disney O Cão e a Raposa (1981) já começa com uma morte: a mãe da raposa Tod é baleada e morta por um caçador. Tod é, então, adotado por uma senhora e tratado como um animal de estimação e se torna amigo de Copper, um pequeno cão de caça. Os dois juram ser amigos para sempre, mas claro que acabam se separando por anos apenas para se reencontrarem bem depois e, no final, se separarem de vez. A gente não precisa ser criança para ficar sentido e emocionando com essa trágica, mas crível história.

A Estranha Vida de Timothy Green

A comédia dramática infantil A Estranha Vida de Timothy Green (2012) é bem engraçada, mas o tempo de Timothy na Terra é limitado, e, quando ele realizar o seu propósito para estar vivo, irá, simplesmente, desaparecer. No final da história, o casal, que nunca conseguiu ter filhos e criou Timothy acidentalmente ao enterrar no jardim uma lista com tudo que gostariam em um filho, acaba tocado pela presença do garoto, mas abandonado por ele. Como não chorar?

A Menina e o Porquinho

O drama musical animado A Menina e o Porquinho (1973), que adaptou o livro de mesmo nome de E. B. White para os cinemas, foca no porquinho Wilbur, que se torna amigo da inteligente aranha Charlotte, que o salva de ser esquartejado pelo dono da fazenda. Os dois imergem em uma aventura, claro, e se tornam grandes amigos apenas para acabar com os nossos corações no final, quando Charlotte morre e tudo perde o sentido! Ah, o longa ganhou um remake em 2006 com atores (e animais) de carne e osso.