X

Saiba como AHS: Roanoke se conecta com as demais temporadas

As referências foram à loucura neste ano de American Horror Story!

Por Carla Braga - 18 Nov 2016 às 16:02h

Lá em 2014, Ryan Murphy – um dos criadores de American Horror Story – confirmou para a Entertainment Weekly que todas as temporadas da antologia estão interligadas. Mas, desde então, apenas pequenas conexões (ou menções) despontaram ao longo das temporadas, a exemplo de Freak Show (ano quatro), que reapresentou Pepper, personagem introduzida em Asylum (ano dois), e Hotel (ano cinco), que trouxe à tona Billie Dean Howard, personagem de Murder House (ano um).

Roanoke, o sexto ano da antologia, no entanto, levou as referências para um patamar mais elevado, realizando conexões com todas as outras cinco temporadas que vieram antes dela! Será que você percebeu todas elas?

Croatoan

Esse throwback talvez tenha passado despercebido, mas, em Roanoke, o psíquico Cricket visita Shelby e Matt na casa mal-assombrada para ajudá-los com os espíritos e acaba afastando algumas das entidades com a palavra Croatoan. O significado de Croatoan foi explicado lá em 2011, em Murder House, quando a médium Billie Dean Howard conta a história do desaparecimento dos moradores da Colônia de Roanoke. Segundo Billie Dean, os colonos continuaram assombrando as comunidades locais mesmo depois de terem desaparecido até que um idoso usou, eventualmente, uma maldição para livrar a terra dos espíritos, gritando Croatoan para completar o encantamento. Mas, pelo o que vimos em Roanoke, essa maldição não deu tão certo assim.

Scáthach

Neste ano, Lady Gaga apareceu pouco em AHS devido a sua agenda lotada com um novo álbum, mas encarnou uma personagem bastante importante para o universo da série. Durante as encenações dos eventos “reais”, Gaga surge como a Bruxa da Floresta, que é adorada pela matriarca dos colonos, a Açougueira (cujo nome verdadeiro é Thomasin White), e descendente de druidas. Em outubro desde ano, Murphy revelou que a personagem, que se chama Scáthach, é a bruxa suprema original de Coven e sugeriu ainda que o surgimento dela na antologia servirá para interligar uma temporada vindoura com Coven.

Edward Phillipe Mott

Em 1792, Edward Phillipe Mott construiu a mansão, que Matt e Shelby viriam a comprar quase três séculos depois. Mas o que poucas pessoas devem ter se ligado é que Edward é da mesma família Mott que aparece em Freak Show, o que o torna um ancestral do serial killer Dandy e de Gloria, a mãe esquisita do jovem – e, sim, os dois têm sangue Mott, já que Gloria casou com o seu primo de segundo grau, o pai de Dandy. Mas vale mencionar que a árvore genealógica da família Mott parou em 1952 quando Dandy, o único filho de Gloria, foi morto.

O Anticristo

Em Roanoke, Scáthach faz sexo com Matt e pode ter engravidado dele. Por que? Em Murder House, Billie Dean fala que “uma criança nascida do humano e do espírito vai liderar o fim dos tempos”. Então, caso Scáthach tenha uma criança, nós podemos esperar pelo Apocalipse (pelo menos, dentro do universo de AHS). Ah, e Viviene Harmon dá à luz a uma criança metade humana, metade espírito no final de Murder House (a cena final da temporada mostra um menino loiro matando a governanta da casa) e Bartholomew, o monstruoso filho da Condessa com James March, também possui um viés assassino. Ou seja, a essa altura, existem pelo menos três potenciais Anticristos em AHS.

O Homem Porco

Croatroan nao foi a única referência que Roanoke fez ao primeiro ano de AHS, já que o Homem Porco, que assombra os corredores da casa de Matt e Shelby, foi baseado em uma lenda contada em Murder House quando Derrick, um paciente do Dr. Ben Harmon, menciona o seu medo pela lenda urbana do Homem Porco, um açougueiro, que, em uma Chicago de 1893, vestia uma máscara de porco enquanto matava porcos. De acordo com a lenda, se você falar “aqui porquinho, porco, porco” em frente a um espelho três vezes, o Homem Porco aparece para matar você. O conto foi revisitado em Roanoke, já que foi revelado que o Homem Porco era um membro da família Polk, mais especificamente, um açougueiro que, entediado de matar porcos, começou a assassinar humanos.

As enfermeiras

As irmãs enfermeiras Bridget e Miranda podem ser personagens completamente diferentes das duas enfermeiras assassinas de Murder House, mas não dá para negar que existe uma conexão entre elas – mesmo que a gente ainda não saiba o que isso significa. Afinal, estamos falando de duas duplas femininas de enfermeiras assassinas, que matam pessoas presentes nas casas mal-assombradas que aterrorizam!

As escadas em espirais

Cada temporada de AHS é singular a sua maneira, mas, por alguma razão, quase sempre apresentam uma escada em espiral, que dá para um fundo brilhante. E não foi diferente com Roanoke! Neste ano, a escada ficou bastante em evidência, como sempre, pela sua posição central na casa (assim como em Coven e Asylum, por exemplo) e pelo sobe e desce dos personagens, fugindo dos seus perseguidores. Será que as escadas em espirais são uma metáfora para o círculo de horror que os personagens irão enfrentar? De qualquer forma, Murder House, Asylum, Freak Show, assim como Roanoke, contam com suas versões de escadas, e as mortes de Monet e da irmã Mary Eunice, de Asylum, são bem parecidas, envolvendo o fato de terem sido empurradas de escadas em espirais, claro.

Lana Winters

A season finale do sexto ano da antologia reintroduziu Lana Winters, personagem principal de Asylum. A jornalista acabou internada erroneamente no asilo Briarcliff enquanto pesquisava sobre um serial killer, mas foi solta e revelou para o mundo os maus tratos que os pacientes sofriam no local. Winters reapareceu na sua versão idosa em Roanoke como uma repórter conceituada e aposentada, considerada como um “tesouro nacional”, que sai da aposentadoria para gravar um especial com Lee – a única sobrevivente da segunda temporada do reality show Return to Roanoke: Three Days in Hell.