X

Desvendando o universo de Desventuras em Série

Dos famosos livros a jogos, filme e, agora, uma série!

Por Carla Braga - 12 Jan 2017 às 13:28h

Desventuras em Série. Três palavras ordenadas nesta ordem que você já deve ter ouvido ou lido em algum lugar pelo menos alguma vez na sua vida. Isso porque a bem-sucedida série de livros, com treze volumes lançados, de Lemony Snicket (pseudônimo utilizado pelo autor Daniel Handler) é um sucesso mundial, que já vendeu mais de 65 milhões de cópias mundo afora, foi traduzida para 41 idiomas e teve o seu universo expandido através de filme, video game, board game, card game e, mais recentemente, de uma série da Netflix, que entra em cartaz nesta sexta (13), estrelada por Neil Patrick Harris.

Do que se trata a história?

Não é à toa que a produção do serviço de streaming foi agendada para chegar em uma sexta-feira 13. Os órfãos Baudelaire, os três protagonistas dos livros de Desventuras em Série, são descritos desde o início pelo narrador Snicket como crianças azaradas, explicando que pouquíssimos acontecimentos positivos as acometem e sempre tentando dissuadir o leitor a continuar lendo a história - um detalhe peculiar que só enriquece a série, convenhamos.

O primeiro livro, cujo o título Mau Começo (1999) também indica que os personagens principais irão sofrer um bocado, nos apresenta aos abastados irmãos Baudelaire assim que eles descobrem que os seus pais faleceram em um incêndio. Violet, uma garota de quatorze anos, a mais velha dos três é uma jovem inventora, Klaus, o filho do meio de doze anos é um leitor assíduo, e a pequena Sunny, uma criança com dentes afiados frequentemente utilizados, são mandados, então, para morar com um parente distante chamado Conde Olaf. Mas os órfãos descobrem que o tutor pretende colocar as mãos na enorme  fortuna deles, que será herdada por Violet quando ela completar dezoito anos, iniciando-se, então, toda uma saga, que envolve fugas, perseguições e vários disfarces!

A envolvente série literária gera certa confusão quanto ao seu gênero, com alguns a caracterizando como ficção infantil, outros como ficção gótica (ou uma sátira a ela), como ficção absurda e por aí vai! De todo jeito, cria-se também um mistério em relação à época em que a trama é ambientada, que se passa em um mundo alternativo e atemporal, com semelhanças estilísticas com o século 19 e os anos 30, mas onde existe um conhecimento científico contemporâneo e aparentemente anacrônico. Isso tudo soma-se para criar uma atmosfera única e confusa de um jeito legal.

O filme com Jim Carey

Em 2000, logo após o lançamento do primeiro livro da série, os direitos para um longa foram comprados. Depois de vários contratempos, o que nunca é um bom sinal, envolvendo principalmente problemas em relação ao orçamento, e várias versões do roteiro (Handler, o escritor dos livros, chegou a fazer oito versões do script antes de ser despedido), Desventuras em Série, o filme, chegou em 2004 aos cinemas com Jim Carrey na pele de Olaf e Brad Silberling na direção, adaptando os três primeiros volumes da série em uma única trama.

A produção foi um sucesso de bilheteria, arrecadando mais de US$ 200 milhões mundialmente, mas recebeu críticas mistas por ter suavizado e mudado, de certa forma, o tom dos livros. Enquanto que a série literária é sóbria e solene, mas com pitadas ocasionais de humor, a produção cinematográfica foi apenas cômica, com um Olaf exagerado e que mais parecia a persona cômica do Jim Carrey do que um personagem. De todo jeito, o visual da história estava condizente com os narrados nos livros.

Em seguida ao lançamento, elenco e diretor demonstraram interesse em reprisar os seus papéis em uma sequência, mas a ideia nunca saiu do papel. Em 2009, surgiu até a possibilidade de que um filme em stop-motion poderia ser realizado, já que as crianças do original já estavam crescidas, mas isso também nunca chegou a ser concretizado.  Até que, em 2014, notícias concretas sobre o assunto chegaram, mas não da forma que todos esperavam.

A série da Netflix

Dois anos atrás, a Netflix anunciou que planejava adaptar os livros de Desventuras em Série em um seriado! Logo em seguida, Barry Sonnenfeld (A Família Addams, MIB: Homens de Preto), que deveria ter dirigido o filme de 2004, mas que deixou o projeto temeroso com o baixo orçamento dele, foi anunciado como o diretor dos capítulos, o que foi um ótimo sinal. As ótimas notícias continuaram chegando, com Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother) envolvido no elenco do programa para encarnar o Conde Olaf.

Com a iminência da sua chegada e vários teasers e trailers liberados, tudo indica que a produção do serviço de streaming saciará o desejo dos fãs dos livros em ver a rica história bem detalhada e com o tom certo, ou seja, gótico, estranho, seco e cômico ao mesmo tempo; No total, serão 26 episódios, com dois dedicados para cada livro. Mas, nesta sexta, dia 13 de janeiro, chegará a primeira leva deles, com oito capítulos cobrindo os quatro primeiros livros.

Video game e afins

Além do filme e da nova série, o universo de Desventuras em Série também foi expandido com vários modelos diferentes de jogos em 2004. Um video game, chamado Lemony Snicket's A Series of Unfortunate Events e inspirado nos livros e, mais especificamente, no filme, foi lançado para PS2, Xbox e PC. Nele, os jogadores vivem os três órfãos em pontos diferentes da narrativa e encontram personagens como Olaf e Tia Josephine. No mesmo ano, chegou um board game de Desventuras em Série lançado pela Mattel para até quatro jogadores acima de oito anos, em que alguém assume o papel de Olaf e o restante das pessoas encarnam o restante dos personagens. Além disso tudo, na mesma época, também chegou ao mercado o The Catastrophic Card Game, com quatro sets de cartas e para pessoas acima de catorze anos.

Desventuras em Série

Após tantas expansões e livros lançados, é coerente afirmar que Desventuras em Série é uma franquia de relevância no contexto atual. Mas, de certa forma, nunca tinha recebido a atenção que merecia fora do universo literário. Com a chegada da sua promissora série da Netflix, é provável que ela receberá, finalmente, a adaptação que tanto merecia há anos! De qualquer forma, os seus treze livros estão à disposição para serem devorados a qualquer instante por todos.