X

As bizarrices dos filmes da franquia Resident Evil

Não estamos falando apenas dos monstros estranhos da série

Por Rafael Sanzio - 30 Jan 2017 às 13:46h

A franquia Resident Evil é um sucesso de bilheteria nos cinemas e em público, mas convenhamos, acontece muita bizarrice durante os filmes – e não falo apenas dos monstros grotescos, cenas de ação absurdas, mas também os furos do roteiro e coisas sem sentido algum que permeiam a história criada por Paul W.S. Anderson. Listamos aqui os vários momentos sem sentido da franquia, será que você percebeu eles?

Resident Evil: O Hóspede Maldito

1. Jaqueta encolhida: No começo do filme Spence (James Purefoy) empresta uma jaqueta de couro para Alice (Milla Jovovich) que fica grande nela. À medida que o filme transcorre, a jaqueta diminui de tamanho e até mesmo parece ser feita para uma mulher.

2. A importância da maquiagem: Quando Alice entra na Colméia, ela está sem maquiagem, mas a cada nova cena ela parece estar com uma nova maquiagem – preste atenção ao batom.

3. Laser que dissolve: Uma das cenas mais tensas foi a eliminação da equipe da Umbrella pelo corredor de laser. Todo mundo morre naquela cena, porém, o último em pé tem uma visão em primeira pessoa do que está vindo contra ele, e quando essa visão acontece, os corpos dos seus companheiros desapareceram. Mais tarde reaparecem, e o que foi feito em pedaços não está em cubinhos quando os personagens entram no corredor. e nem os corpos dos seus companheiros, já que o laser cobre todo o corredor - além disso, porque o líder não correu para perto da porta?

Resident Evil 2: Apocalipse

1. Criancinhas zumbis: Quem em sã consciência entra em uma sala de aula com paredes manchadas de mãozinhas carimbadas de sangue e com uma criança no escuro de costas para você? E ainda acha que essa é a criança que ela está procurando?! E na verdade, quem é que se separa do resto do grupo dentro de uma escola creepy em um apocalipse zumbi?

2. Nemesis, o tosco: Em uma era da computação gráfica cada vez mais bem-feita, ver o monstro Nemesis ser um resultado de próteses e maquiagem pesada é triste. O ator por baixo daquelas camadas andava desengonçado e as lutas corpo-a-corpo tiverem que ser disfarçadas através de câmeras rápidas e de ângulos próximos. Bem bizarro o resultado final.

3. Exagero na explosão nuclear: No filme, Raccoon City é destruída através de uma detonação nuclear, mas é acobertada como se tivesse sido um acidente em uma estação de energia nuclear. Pode ser que o jornal que deu a notícia falsa pressupõe que o público comum não vai entender do assunto, mas um acidente em uma estação de energia nuclear nunca poderia ser confundido com uma explosão de uma arma nuclear. Da mesma forma, dizer que o acidente foi o pior desde de Chernobyl é eufemismo bravo, pois o acidente na Ucrânia vitimou apenas 56 pessoas e a última morte registrada por causa dele somou 4000. O acidente de uma cidade inteira, como Raccoon City, seria muito, mas muito pior e com uma enorme quantidade de vítimas.

Resident Evil 3: A Extinção

1. Contêiner espaçoso: Quando Alice e os outros estão próximos a um contêiner, ele abre e zumbis modificados começam a atacar todos. Até aí tudo bem, o problema é que o contêiner começa a parecer um fusca de palhaço, já que não para de brotar zumbis de lá.

2. Não entendendo os sintomas: É o calor está bravo e geralmente a galera está cansada e sem fôlego, mas pessoal, quando os personagens ficarem cinzas e com olheiras e suando, com certeza eles foram mordidos!

3. Fucking logic: Durante a cena de Tóquio os ideogramas japoneses são aleatórios e irrelevantes para o local onde estão. Nos filmes seguintes esse, talvez não erro, é justificado por se tratar apenas de um cenário criado pela Umbrella.

Resident Evil 4: Recomeço

1. Bala infinita como alguns jogos: Apesar dos jogos da franquia Resident Evil optarem por armas que contenham balas de forma escassa, os filmes não seguem a mesma premissa. No ataque dos clones no começo do filme, os clones de Alice atiram sem parar com submetralhadoras, sem recarregar, porém, o tipo de arma que elas estão usando pode atirar sem parar apenas por 4 segundos antes de acabar as balas. Elas provavelmente trapacearam e colocaram o código de munição infinita.

2. Em caso de emergência quebre o vidro e pegue a bomba: Me admira bastante que um complexo como a Umbrella deixe a disposição bombas facilmente removíveis e armadas para qualquer um pegar e usar.

3. A resistência seletiva de Wesker: Foi muito legal ver Albert Wesker (Shawn Roberts) usando seus poderes para detonar Chris (Wentworth Miller) e Claire (Ali Larter) em um combate corpo-a-corpo. Só não dá para entender porque o vilão resolveu encarar Alice da maneira mais devagar e idiota possível. Não era melhor dar uma surra nela e depois, que ela estivesse incapacitada, inventar de comer a cabeça dela? Além disso, para um cara que sobreviveu a duas explosões, como é que ele é detonado com uma escopeta que nem arrancou a cabeça dele?

4. Alice, a invencível: No início do filme Alice tem seus poderes removidos, mas isso não a impede de sobreviver a uma batida de um avião diretamente em uma montanha e ela, visivelmente, flutuando no ar sem cinto algum!

Resident Evil 5: Retribuição

1. O ataque dos clones: Paul W.S. Anderson se superou nessa trama, trazendo antigos personagens através da clonagem e praticamente tendo sua própria linha de stormtroopers. A viagem é tão grande que praticamente há um parque de diversões nesse complexo da Rússia.

2. Amigas, nem tanto!: Até então Jill Valentine (Sienna Guillory) estava sendo dominada pela aranha da Umbrella e Alice já conhecia essa condição pois Claire Redfield já havia sido dominada em Resident Evil 4: Recomeço. Porém, Alice quando luta com Jill tenta realmente matar a conhecida – dando tiros e tentando cortá-la em pedaços. Só depois consegue retirar a aranha controladora – mas pelas circunstâncias, não por querer evitar machucar Jill.

3. Por falar em amigas e amigos: O começo do filme não dá nenhuma explicação sobre o paradeiro dos personagens de Claire, Chris e a garota que resgataram no cargueiro – pelo visto a melhor explicação é evitar falar sobre o assunto.

4. CSI falhando: Quando Alice entra na sala de comando, os operadores estão mortos como se tivessem sido alvejados por trás, mas ao passar a câmera de segurança vemos Ada Wong (Bingbing Li) matando-os a partir do centro da sala – os vidros das cabines onde eles ficavam deveriam estar destruídos.

Resident Evil 6: O Capítulo Final

Esse filme em particular retoma algumas decisões bizarras de filmes anteriores e traz algumas coisas que nunca foram vistas antes, mas que precisamos engolir para entender a nova plot da história que o diretor quis inventar para sua esposa. Leia a nossa crítica para ficar por dentro das bizarrices deste último filme.