X

10 razões para você começar a ver The Expanse agora

Conheça a melhor série no ar que ninguém está assistindo (ainda)

Por Carla Braga - 08 Fev 2017 às 10:34h

Os últimos anos, assim como tudo indica que 2017 será, foram bons anos para ficções científicas no cinema. Star Wars: O Despertar da Força, Interestelar, Star Trek: Sem Fronteiras, A Chegada, Ex Machina, Rogue One: Uma História Star Wars e muitos outros ratificam essa afirmação. Mas nenhuma produção televisiva recente consegue sequer se aproximar do nível de grandeza em termos de elementos sci-fi da série The Expanse, do canal SyFy. No entanto, por alguma razão desconhecida, o seriado não caiu na boca do povo até agora e, por consequência, ainda não atingiu o nível de sucesso que tanto merece.

A space opera/sci-fi dramática possui um elenco sólido, um futuro próximo especulativo e rico em detalhes, uma trama conspiratória complexa e uma fantástica série de livros como fonte de inspiração para ainda muitas outras temporadas. No momento, o programa segue no início do seu segundo ano, com três episódios exibidos, e nós do Fique Ligado já conferimos todos os capítulos liberados até agora e enxergamos várias razões para você, que ainda não começou a conferir a produção, começar a vê-la de uma vez por todas.

1. Um contexto político complexo, intrigante e conspiratório

De repente, quem é fã de Game of Thrones (como eu) percebe que as tramoias da série da HBO encontram em The Expanse uma competição e tanto. Ambientada no século 23, ou seja, daqui a duzentos anos, a trama segue vários personagens diferentes espalhados pelo sistema solar – agora colonizado. Existem três locais cruciais para entender a história: a Terra (agora unificada com a Lua em uma única nação controlada pela ONU), Marte (habitada pelos marcianos = descendentes de terráqueos, que foram colonizar o planeta nas gerações passadas) e Ceres (o principal asteroide do Cinturão de Asteroides entre Marte e Júpiter habitado por uma geração proletária, que nasceu e se criou na gravidade zero). Terra e Marte vivem uma Guerra Fria, basta uma faísca para tudo começar a explodir e alguém, por alguma razão, deseja que isso aconteça. O que não falta aqui são conspirações, conspirações e mais conspirações.

2. Uma primeira temporada redonda

Apesar da trama como um todo ser bastante complexa, o primeiro ano de The Expanse consegue manter tudo em ordem, focando suas atenções em três arcos narrativos bem-construídos e finalizados. O detalhe é que cada um deles fornece um olhar diferente acerca dos acontecimentos, que levam para uma possível guerra, e cada um dos personagens desses arcos possui seus respectivos papéis para desempenhar nesse contexto, o que apenas enriquece a nossa compreensão da coisa como um todo.

3. Uma ficção científica hard core

Com isso, quero dizer que a série não nos poupa de detalhes científicos para explicar como tudo funciona no espaço. Gravidade artificial pode ser criada através de rotação linear, crescer em um ambiente assim desencadeia uma série de problemas ósseos e musculares, um fuzil novo permite uma viagem espacial mais rápida, mas ainda é preciso uma boa quantidade de tempo para chegar aos destinos, uma bala pode viajar em uma linha reta para sempre na gravidade zero e etc. É preciso prestar bastante atenção e até pausar e voltar certas falas para garantir que estamos compreendendo tudo, mas é esta exatidão aos detalhes que torna The Expanse tão divertida para os fãs mais nerds de ficção científica.

4. Thomas Jane vive um policial neo-noir

Se você gosta de ficção científica e, por acaso, assim como eu, também é fã do cinema clássico noir, vai adorar a combinação que The Expanse fornece com o detetive Miller, personagem de Thomas Jane – o ator mais famoso do elenco do programa. Miller é um policial cínico que usa um fedora e odeia todo mundo (incluindo ele mesmo), e é através dele que conseguimos dar uma olhada melhor no dia-a-dia e na cultura dos belters (pessoas que nasceram nos asteroides do cinturão, como Ceres), incluindo uma nova língua. E é nessa realidade onde Miller inicia o caso mais importante da sua vida, que, à procura de uma mulher desaparecida, acaba imergindo na conspiração mais perigosa do sistema solar.

5. Os aventureiros fogem do senso comum do que um aventureiro significa

Em um dos arcos do seriado, conhecemos alguns personagens que fazem parte de uma tripulação espacial e são, claramente, os aventureiros/heróis do seriado. Mas, como se trata de The Expanse, eles fogem dos estereótipos acerca do que consiste ser um herói, e o foco maior das suas narrativas são nos relacionamentos complexos, que eles estabelecem entre si. A confiança um no outro precisa ser construída em meio a situações estressantes e é conquistada aos poucos com um timing impecável a cada novo episódio. Sem falar que o mais talentoso, inteligente e carismático deles é uma personagem feminina e negra, chamada Naomi e vivida pela excelente Dominique Tipper.

6. Um olhar acerca de um futuro relativamente próximo

Como a trama de The Expanse é ambientada daqui a duzentos anos, existem tecnologias estabelecidas hoje em dia, mas melhoradas com o passar de dois séculos e outras conjecturadas atualmente, como o sapato que fixa no chão quem os usa mesmo na gravidade zero (algo semelhante ao que aparece no filme Passageiros). Além disso, é intrigante enxergar como a Terra pode estar do século 23 e imaginar como estaria a ocupação de Marte e em outros lugares, como o cinturão de asteroides. Os comportamentos das pessoas mudaram? Elas ainda leem livros ou usam lápis? Como está o design das roupas e dos aparelhos e utensílios domésticos e de locomoção? Isso tudo, de uma forma ou de outra, é abordado no programa.

7. Os efeitos especiais da segunda temporada

Apesar de criar visuais incríveis para espaçonaves e cidades durante o seu primeiro ano, alguns efeitos especiais de The Expanse deixam a desejar; ficando evidente que algum limite de orçamento prejudicou os efeitos em certos momentos. Algo que costuma acontecer em séries. Mas o que costuma acontecer também é que, quando essas produções voltam para uma nova temporada, seus efeitos especiais retornam bem melhores. Não foi diferente com The Expanse. Ainda nos primeiros minutos do primeiro episódio do segundo ano, percebemos um acabamento claramente melhorado não só nos efeitos, mas na fotografia da produção, que está linda e lembrando um pouco o vindouro Mass Effect: Andromeda. Quando as espaçonaves surgem, é impossível não se admirar ainda mais!

8. Tensão sexual bem construída e que não ofusca os demais eventos

À medida que a primeira temporada acontece, dois possíveis casais despontam em tela. Um acaba se provando apenas platônico e impossível e o outro parece ser um pouco mais realista. Em nenhum momento há muitas discussões a respeito disso, mas fica bastante claro em várias cenas que a atração e a tensão existem, e nunca isso se torna mais relevante para os envolvidos do que os perigos que os cercam. De todo jeito, é divertido acompanhar e tentar descobrir se algo vai rolar ou não.

9. A luta de classes

Provavelmente a temática mais recorrente em The Expanse, a luta de classes é fundamental para compreender o contexto em que a trama se desenvolve e acaba a enriquecendo. Os belters – habitantes dos asteroides, de onde se retiram matérias-primas fundamentais para a manutenção da humanidade – foram e são explorados por Terra e Marte, que enriqueceram com a exploração, deixando apenas pobreza para os habitantes (a classe proletária) dos asteroides. Com a Guerra Fria entre os dois planetas e a iminência de uma guerra de fato em breve, onde ficam os belters? Para eles, não há muita diferença entre ser dominado por um ou pelo outro. Essa questão atrelada aos avanços do grupo militante dos belters apenas acrescenta profundidade à série como um todo.

10. A primeira temporada de The Expanse está na Netflix

Se você entrar na Netflix vai encontrar The Expanse na sessão de “séries originais” do serviço de streaming, o que é verdade apenas em territórios fora dos Estados Unidos. A produção foi criada pelo Syfy, mas comprada pela Netflix para ser distribuída no mundo inteiro. Isso garante que, assim que o segundo ano do programa acabar, ele também entrará no catálogo do site; e assim por diante. Assim, os dez primeiros capítulos da série estão esperando por você para serem vistos neste exato momento sem grandes esforços, e logo, logo a segunda temporada também.