X

As 13 melhores produções de comédias com zumbis

Santa Clarita Diet não foi a primeira a dar um twist cômico aos mortos-vivos

Por Carla Braga - 09 Fev 2017 às 16:13h

As produções com zumbis não são nenhuma novidade no entretenimento, mas, nas duas últimas décadas, nossa fascinação por estas criaturas undead tem se tornado quase uma obsessão. Há séries de televisão, filmes, video e boardgames, documentários, clipes musicais e por aí vai, e muitos desses exemplos possuem uma veia cômica apurada. As comédias de zumbis fazem parte de uma sessão muito bem estabelecida dentro do gênero como um todo e atraem a mesma quantidade de pessoas do que os títulos mais sérios focados nessas criaturas. Compilamos, portanto, as produções mais engraçadas focadas nesses mortos-vivos tão intrigantes para a gente.

Santa Clarita Diet (2017-)

A produção mais atual e que serve de principal mote para esta matéria é Santa Clarita Diet. Estrelada por Drew Barrymore e Timothy Olyphant, a série original na Netflix não tem os zumbis como coadjuvantes, mas sim como a principal protagonista da história. A personagem de Barrymore torna-se uma undead, o que acaba abalando a tranquilidade da sua pacata vida, assim como a da sua família, que, para mantê-la funcional, precisará ajudá-la a escolher e abater suas vítimas. O programa possui momentos absurdos e gore chocantes, uma veia cômica afiada e ótimos atores na pele de personagens interessantes e bem construídos – confira o que achamos do seriado.

Zumbilândia (2009)

A comédia de zumbis mais conhecida dos últimos anos, Zumbilândia, é um filme ideal para aqueles que não conhecem os clássicos engraçados focados nas criaturas undead, mas que acaba agradando a maior parte das pessoas que curtem as produções mais antigas também. O motivo para isso é uma construção narrativa irreverente para o subgênero, ótimos e engraçados atores na pele dos personagens – Emma Stone, Jesse Eisenberg, Woody Harrelson, Abigail Breslin, Bill Murray e outros – e muita ação. Uma daquelas produções que se tornam clássicas para o seu gênero assim que são lançadas.

A Volta dos Mortos-Vivos (1985)

Com mais de trinta anos de existência, este longa está completamente ultrapassado em termos técnicos, mas, mesmo assim, consegue envelhecer de forma fenomenal. Inclusive, os seus efeitos práticos horríveis apenas o ajudam nessa tarefa. Caso A Volta dos Mortos-Vivos fosse uma produção séria, isso seria fatal para a sua relevância, mas, como se trata de um clássico do horror de humor, o efeito é contrário. As cenas mais épicas envolvem momentos como uma criatura metade cachorro acordando e tentando correr de forma trágica e hilária ao mesmo tempo. Caso você tenha procrastinado ver este filme até hoje, reveja essa decisão. Ele irá mudar a forma como você vê filmes de zumbis para sempre.

Todo Mundo Quase Morto (2004)

Coescrita e estrelada por uns dos nerds mais cool do entretenimento, Simon PeggTodo Mundo Quase Morto foi criada para os fãs de produções de mortos-vivos que curtem encontrar um pouco de romance e muito humor no meio da narrativa. Taxado incisivamente como um zom-rom-com, o filme possui uma plot simples: um homem deseja reatar o namoro com a ex-namorada, reconciliar-se com a mãe e salvar a vida do seu colega de quarto em um mundo infestado por criaturas undead. Felizmente para ele, elas não são muito inteligentes e nenhum pouco rápidas.

iZombie (2015-)

Misturando horror com comédia e drama, a série iZombie, do canal CW, adapta de forma solta os quadrinhos de mesmo nome da DC Comics, criados por Chris Roberson e Michael Allred, e aborda a temática de forma diferente, seguindo uma residente de medicina, que acaba virando uma morta-viva quando vai a uma festa, que dá muito errado. A personagem, de forma semelhante à de Santa Clarita Diet, decide continuar vivendo no mundo dos vivos e matar suas refeições na surdina. Neste caso, trabalhando de forma bastante conveniente em um necrotério.

 

Vida Após Beth (2014)

Outro exemplo de história de zumbi que consegue repaginar um pouco os moldes do gênero, a comédia indie Vida Após Beth, como o título indica,apresenta um protagonista, vivido por Dane DeHaan, que precisa aprender a levar a vida depois da morte da namorada, encarnada pela sempre estranhamente engraçada Aubrey Plaza. Mas o processo de luto é interceptado quando ele descobre que ela reapareceu. É aqui que tudo começa a ficar interessante. De início, Beth parece normal, mas, com o passar dos dias, a jovem começa a apresentar alguns comportamentos estranhos.

Fido - O Mascote (2006)

Com uma plot maluca, mas que faz várias menções à divisão de classes da nossa sociedade, Fido – O Mascote possui um dos enredos mais ricos presentes em uma produção de zumbis! Ambientado em uma época parecida com os anos 50, o filme mostra que uma nuvem de radiação trouxe à tona mortos-vivos, que anseiam por carne fresca humana. Esses seres podem ser dominados se utilizarem um colar de domesticação, que, quando ativados, tornam os zumbis controláveis e, portanto, criaturas trabalhadoras eternamente produtivas na sociedade. Dá para fazer algumas alusões com o mundo real, né?

Fome Animal (1992)

A melhor parte da comédia de zumbi Fome Animal – considerada um dos filmes mais sangrentos e grotescos da história – é que ela foi dirigida por ninguém menos do que Peter Jackson. Isso mesmo. O longa saiu há mais de duas décadas, mas ainda é relevante por ser muito, mas muito engraçado e sangrento. A trama simples segue um loser, que tenta não perder a namorada enquanto toma conta da sua mãe, que virou uma morta-viva após ser mordida por um morcego. A mulher voltou à vida matando cachorros, enfermeiras, vizinhos e até os amigos.

Death Valley (2011)

A série Death Valley é um mockumentary – como The Office, Parks & Recreation e outras – focado no dia-a-dia de uma nova força tarefa californiana, que precisa lidar com vários criminosos, que quase sempre possuem uma natureza sobrenatural. A trama não é focada apenas em zumbis, já que existem outros undead, como vampiros, e criaturas como lobisomens, mas a produção entra na lista pela sua irreverência e ótimas sequências de zumbis. É uma pena que tenha tido apenas uma temporada pela MTV.

Meu Namorado é um Zumbi (2013)

Baseada no livro Sangue Quente, de Isaac Marion, a comédia romântica de horror Meu Namorado é um Zumbi mostra um mundo pós-apocalíptico acometido por mortos-vivos, mas foca mesmo na construção do improvável relacionamento romântico entre a adolescente Julie (Teresa Palmer) e um zumbi vivido por Nicholas Hoult. A melhor parte da produção é acompanhar o desenvolvimento do improvável e cômico casal, que acaba iniciando uma sequência de acontecimentos que pode transformar o mundo dos undead para sempre.

Bio Zombie (1998)

Bio Zombie não é nenhum pouco bem feito. A maquiagem é cômica e, por alguma razão, todos os zumbis parecem ter sido salpicados por talco, mas ele é intencionalmente bem engraçado e faz alusões ótimas ao clássico do horror de 1978 Despertar dos Mortos. O final da trama ainda possui uma reviravolta surpreendentemente sombria, que torna a experiência de conferi-lo ainda mais merecedora.

Zumbis na Neve (2009)

Você já se pegou imaginado sobre a identidade que os zumbis tinham antes de terem sido mordidos e se transformado em criaturas irracionais sedentas por miolos? Zumbis na Neve responde esta dúvida para você, e a resposta é: nazistas.A premissa absurda da produção norueguesa coloca um grupo de estudantes nas montanhas do país apenas para serem atacados e perseguidos por zumbis com uniformes da SS – organização ligada ao partido nazista e a Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. Como é de se imaginar, o filme recebeu críticas mistas, mas, com uma história maluca como esta, é válido conferi-lo.

Uma Noite Alucinante 3 (1992)

Com a trama provavelmente mais absurda desta lista, Uma Noite Alucinante 3, clássico de Sam Raimi dos anos 90,não só possui Bruce Campbell como protagonista, mas ainda o leva acidentalmente de volta no tempo para 1300 A.D., onde ele precisa lutar contra um exército de mortos-vivos a fim de recuperar o Necronomicon, livro fictício criado por H.P. Lovecraft. Isso tudo enquanto tem uma mão a menos e usa uma motosserra no lugar dela.