X

As pistas do segundo trailer de Ghost in the Shell

Novo vídeo entrega mais da liberdade criativa do filme

Por Rafael Sanzio - 14 Fev 2017 às 12:05h

O primeiro trailer da adaptação cinematográfica de Vigilantes do Amanhã: Ghost in the Shell foi algo do tipo “veja como temos várias cenas iguais ao anime”. Contudo, saiu o segundo trailer que entra mais no campo da liberdade criativa que o diretor Rupert Sanders e o roteirista Jamie Moss se comprometeram a criar para conseguir levar o mangá de Masamune Shirow e Jonathan Herman para a telona. Veja o trailer novamente e nos acompanhe em nossas especulações das pistas que o vídeo pode ter dado para nós:

Uma batida em algum lugar ilegal

O trailer começa com o grupo formado por Batou (Pilou Asbaek) e Major (Scarlett Johansson) entrando em um lugar chamado Maciej – que por sinal, é o primeiro nome do artista conceitual do filme, Maciej Kuciara. Na sequência temos homens usando o mesmo estilo de tatuagem, talvez da mesma gangue – ou os futuros dez homens mortos do grupo terrorista Individual Eleven, usando um tipo de óculos conectado a fios – o que pode indicar algo ilegal envolvendo a conexão dentro do cyberespaço. Kuze, interpretado por Michael Pitt, aparece em forma digital para Major – holograma ou na cabeça dela?

Há muito que falar já nessa primeira cena, principalmente sobre Hideo Kuze, possível personagem adaptado da série de TV Ghost in the Shell: Stand Alone Complex 2nd GIG. O Setor 9, local onde Major trabalha, investiga o grupo terrorista Individual Eleven. Kuze é um dos membros e ele é o único vivo do grupo após um suicídio em massa (na série) – que pode ser exatamente o momento que esse ato está acontecendo quando os agentes invadem o local.

Há também a possibilidade de que, como na série, Kuze esteja iniciando sua revolução ao fazer com que as pessoas abandonem seus corpos para viver no cyberespaço, então o suicídio talvez não tenha sido um.

Setor 9

Na cena seguinte, após a cara bastante expressiva da Scarlett, vemos o prédio do Setor 9 – a pista está no número presente no heliporto. A organização de segurança internacional trabalha contra o cyber terrorismo e crimes que envolvem o cyberespaço. Eles podem agir com ou sem o consentimento do governo e geralmente sem serem conhecidos pelo público.

A situação com os reféns

O que ela fala sobre Kuze não é importante agora, mas as imagens que aparecem remetem ao primeiro episódio da série animada Ghost in the Shell. Contudo, como esse filme claramente está misturando todos os elementos do universo do anime – filmes e séries – fica difícil especular os reais motivos do que está acontecendo. Mas as gueixas estão provavelmente sendo controladas por um hacker, ou por Kuze. Contudo, diferente do anime, os clientes ali reunidos não são ministros ou políticos – quem sabe, mas o resultado do confronto é bem mais fatal do que no anime. Essa escala maior de mortes tirará até mesmo a perfeição estratégica que os agentes da Ordem Pública do Setor 9 costumam ter.

Implantes

Percebe-se que o filme manterá os diversos implantes que os humanos usam. Tanto o das têmporas, para passar informações – e até mesmo a possibilidade de transferência de corpos – como aquele envolta do pescoço que entre algumas funcionalidades está a conexão com outra pessoa, via plugue, para ter conversas particulares através do cérebro.

O Mestre dos Fantoches

Kuze parece ser uma mistura do personagem da série e do Mestre dos Fantoches do primeiro filme animado. A forma como os personagens falam, de como ele pode estar em qualquer lugar e em nenhum lugar, lembra as habilidades do Mestre dos Fantoches, um hacker que usa o sequestro de ciber-cérebros e invasão de corpos para cometer os seus crimes.

O Salto Camuflado

Essa cena foi retirada do primeiro filme, mas modificada em seu desfecho. Major salta para aplicar um tiro em um homem que ganharia facilmente a imunidade diplomática. Aqui, é para invadir de forma menos sutil possível, na situação dos reféns. Ela usa a mesma camuflagem termo-óptica mencionado na abertura do filme.

Batou sem os implantes dos olhos

Como visto no primeiro trailer e evidenciado aqui, não como flashback, os olhos de Batou estão sem os implantes. Isso é muito importante para o que podemos esperar do filme, visto que essa conversa não tem cara de flashback, portanto, teremos a origem dos implantes do personagem, vivido por Pilou Asbaek, nesse filme.

Em seguida temos duas cenas diferentes, talvez para enganar o público, porque baseado no primeiro trailer, o homem mascarado ataca o carro de Daisuke Aramaki (Takeshi Kitano). A cena seguinte mostra uma explosão e Major recebendo o impacto principal, enquanto Batou está atrás dela. Talvez essa explosão obrigue Batou a usar o implante – com Major olhando para o lado, possivelmente para o amigo ferido.

A criação da Major

Então temos a possível mistura de dois momentos da Major, o primeiro, remetendo a abertura de Ghost in the Shell, da real criação da personagem e de seu corpo cibernético – que por sinal, pela história da série seu corpo foi destruído desde criança, começando primeiro com um corpo cibernético de uma criança, momento que conheceu Kuze. O segundo momento, no qual ela está na mesa, ela parece estar sendo mais reconstruída do que construída – talvez o resultado trágico da explosão.

O Passado da Major

A história de Motoko Kusanagi antes de se tornar uma agente do Setor 9 quase não foi explorada, tanto pelos filmes como pela série. Flashbacks eram bem ocasionais e foi em 2nd Gig que o passado foi mais explorado, contando sobre o acidente de avião, o envolvimento com Kuze quando criança, e a confirmação que Motoko nem é o nome verdadeiro da personagem.

No filme, ao que parece, teremos algo ao estilo do novo Robocop, com o protagonista sendo usado para virar um experimento sem saber. Talvez isso, ou algo mais parecido com o segundo filme, com Major sendo pega quando criança e condicionada a viver dentro do corpo cibernético e sua memória tendo sido apagada.

Relacionamento

Na série a personagem vive com duas amigas e até então tinha um namorado no Setor 1. Ela por si só no mangá sempre veste roupas provocantes, em uma tentativa de encontrar sua humanidade, principalmente seu lado feminino, já que seu corpo é um corpo cibernético. No filme, pela expressão de Scarlett Johansson, talvez ela também esteja se descobrindo.

Cena na boate

Por mais que ela esteja dentro de uma boate de strip-tease, a frase “como é linda” pode não ter sido dita por um dos clientes de lá – a voz é bem parecida com a do ator Michael Pitt. E ainda digo mais, deve estar ligada a cena que veremos mais tarde no trailer, e que na verdade ele está falando da beleza literalmente interior dela.

O visual de Kuze e a religião

Entre uma, das várias diferenças, é o fato dele mexer os lábios e ser, ao que parece, uma colcha de retalhos de vários implantes e corpos cibernéticos.

Em seguida temos monges ligados ao que parece ser ao ciberespaço. Na trama de Kuze na série, sua intenção era de levar os refugiados de uma guerra para um local mais livre, fora de seus corpos e para dentro do ciberespaço. No filme, podemos ter o Individual Eleven como um grupo terrorista com intenções religiosas e envolvendo a filosofia do primeiro filme, sobre o “fantasma” que é nossa alma e se ela precisa de um corpo vivo para ser considerada como um ser vivo.

Daisuke Aramaki um vilão?

O brilhante personagem, chefe do Setor 9, que sempre tem uma carta na manga, pelo trailer pode ser o verdadeiro vilão do filme pelos motivos de “uma causa maior”. Mas ainda torço para que Major estivesse questionando sobre a existência de outros como ela para a doutora Ouelet (Juliette Binoche).

O verdadeiro, verdadeiro, vilão

Mas pelo visto quem está sob o comando do projeto deve ser alguém do alto escalão do governo. E quando ela estiver investigando demais sobre o passado dela, ele irá mandar exterminá-la.

As sequências que aparecem nesses trechos são ambas do filme de 95. A luta na água é contra um hacker sem alma, e depois o tanque aranha que protege o corpo do Mestre dos Fantoches. Mas aqui o caso seria ainda da proteção ou mesmo uma máquina enviada para destruir Major?

Um Robocop revoltado

As cenas seguintes possuem pistas do que será o filme, com a possível saída de Major do Setor 9 após descobrir que ela mesmo foi criada sem ter escolha real e assim irá atacar a empresa que lhe criou para chegar a verdade.

A frase clichê no fim tira qualquer animação que tivemos no primeiro trailer, possivelmente com a trama ganhando o raio de Hollywood e talvez perdendo a oportunidade de ser mais complexo como o mangá e os animes são.