X

[Spoilers] 6 Motivos pelos quais Logan é um filme de super-herói

Os tempos apenas estão mudando, para melhor

Por Rafael Sanzio - 07 Mar 2017 às 11:49h

Recentemente fiz uma matéria com cinco motivos pelos quais o filme Logan não é um filme de super-herói, mas como dito no próprio artigo havia também razões para alegar o contrário. Agora, para alegrar os troianos afoitos, eis que listamos cinco motivos pelos quais Logan é um filme de super-herói – o único problema é que a maioria dos argumentos vem recheado de SPOILERS, então cuidado se ainda não assistiu:

1. Apenas um outro lado do gênero

Por mais que os filmes de super-herói possuem vários clichês de roteiro que o transformam em um gênero à parte, mesmo com estilos diferentes, o filme Logan – junto com outros mais ousados da nova safra de filmes de super-herói – traz um tema adulto e com uma censura alta. Isso é proveniente de algo que já existe nos quadrinhos na forma de graphic novels, com temas e histórias que se permitem contar uma trama com um início, meio e fim, sem a necessidade de se encaixar em um cânone, quando se trata de um personagem famoso como protagonista. Portanto, Logan pode ser considerado um filme de super-herói, só que apenas com uma abordagem bem diferente do mainstream.

2. Há sim referências a franquia principal

Por mais que seja em um possível futuro alternativo, o diretor James Mangold não deixou de lado tudo que a franquia X-Men proporcionou para a história de Wolverine. Ao menos, ele pegou alguns elementos da história principal que ainda faziam sentido antes da salada na cronologia dos mutantes. Portanto, para um filme de super-herói com um universo de outros super-heróis, as referências são importantes.

Temos Xavier mencionando o passado de Logan como lutador de gaiola, referência clara a sua primeira aparição no primeiro filme dos X-Men. A espada que ele ganha de Yashida em Wolverine – Imortal. E talvez o que faz mais ligação entre o filme e os outros da franquia, no final de X-Men: Apocalipse, a cena pós-crédito mostra funcionários da Essex Corps pegando o sangue de Wolverine, o que pode ter dado o início aos estudos para a criação das cobaias da empresa Alkali em 2029.

3. Mesmo pouco inspirado, existe algum tipo de adaptação das HQs

Mesmo sendo bastante livre em sua adaptação, temos personagens provenientes dos quadrinhos para a telona. A conhecida X-23, contendo não só as garras das mãos, mas também as dos pés – uma grata surpresa por sinal. Dr. Zander Rice, que nos quadrinhos foi realmente responsável pela criação da X-23 e é filho de Dale Rice, mencionado no filme e que foi um dos responsáveis pelo Projeto Arma X. Os Carniceiros é uma vaga lembrança do que eles foram, mas contém um membro oficial dos quadrinhos, em uma versão jovem de Donald Pierce.

Professor Xavier e Logan são muito bem conhecidos nos quadrinhos, apesar do filme se inspirar em Velho Logan, eles preferiram um Logan velho, acabado e envenenado do que apenas um que não quer lutar como na HQ.

4. O vilão que conta seus planos

Foi no mínimo engraçado ver o Dr. Zander Rice contar todo o seu plano e suas ideias para Logan como uma forma de saciar a curiosidade do público sobre o que danado aconteceu para o futuro dos mutantes ser assim tão ruim. Com isso, o filme entrou no gênero comum de filme de super-herói, com o vilão principal tomando parte do tempo para mostrar como ele pensou em seu plano – não é à toa que ele é cortado no meio dos seus pensamentos.

5. Minions dispensáveis

E lembra que eu falei sobre os minions em filmes de super-herói? Os Carniceiros não possuem uma personalidade individual como nos quadrinhos e servem apenas como escada para lutas coreografadas e para os personagens mostraram o potencial dos seus poderes – tem que ter isso em produções desse gênero, já que o vilão tende a ser mais fodão que os heróis, então precisam de subalternos para mostrar que, ao menos, os heróis são mais fortes que pessoas comuns.

6. Muitos efeitos especiais e vibe X-Men

Algo que o diretor tentou ao máximo fazer era evitar falar sobre os X-Men, justamente para que o senso de realidade e filme pé no chão permanecesse. Filmes de super-heróis geralmente exageram na fantasia e é um show de pessoas uniformizadas e superpoderes cheios de efeitos especiais. Logan moderou bem isso até o seu terceiro ato, onde entrega a vibe super-herói.

Estou falando das crianças com seus vários tipos de poderes mutantes, várias maneiras de matar os inimigos e várias possibilidades para começar uma nova franquia. Todos esses elementos entregam a fantasia dos filmes de super-herói para uma nova geração que está por vir.