X

10 Heróis que se tornaram os vilões em suas histórias

Ou você morre um herói ou vive o bastante para se tornar o vilão

Por Rafael Sanzio - 11 Abr 2017 às 13:44h

Essa frase no subtítulo foi dita pelo personagem Harvey Dent (Aaron Eckhart) no filme Batman – O Cavaleiro das Trevas (2008). Ela serviu como uma trágica profecia para o personagem, o promotor público herói que acabou se tornando o vilão Duas Caras e, também, serviu de alerta para o próprio Batman ir atrás de sua aposentadoria antes que fosse tarde.

As grandes franquias atuais, como Velozes e Furiosos 8 e Transformers: O Último Cavaleiro, estão se inspirando nessa frase e trazendo seus protagonistas na aparente posição de vilão da trama e todos os coadjuvantes precisam encarar o ex-grande herói em um combate – não como amigos que se desentenderam, e sim como o bem contra o mal. Mas seria isso uma falta de criatividade? Ou uma maneira elaborada de ter uma reviravolta (ele nunca foi do mal) ou é realmente uma maneira de mostrar que mesmo os grandes heróis precisam batalhar contra seus monstros interiores, caso contrário, podem se tornar grandes vilões? E em alguns casos, seriam eles mesmos vilões?

Heróis se tornarem os vilões não é algo novo – para a Rainha Hipólita o herói Hércules foi um vilão. E também as várias mídias mostraram essa transformação dos protagonistas em vilões, seja através de vários filmes depois ou ao longo de uma campanha de um jogo. Confira a nossa lista e cuidado com os SPOILERSOptimus Prime ficará fora dessa porque ainda não dá para saber o motivo de ter se tornado o vilão.

Dominic Toretto


Foram seis filmes (porque o segundo ele não participou) como o anti-herói, no primeiro ele poderia ser até considerado um tipo de vilão. Mas pela premissa do Velozes e Furiosos 8 ele se encaixa no vilão a contragosto e provavelmente ele está sendo chantageado pela verdadeira vilã do filme.

Toretto sempre prezou pela família e isso se estende a sua equipe de criminosos, portanto, Cipher (Charlize Theron) deve estar ameaçando a vida de cada um deles para que Toretto fique em sua mão.

Steve Rogers

O símbolo do heroísmo e lealdade. Todo super-herói bom da Marvel Comics tenta se espelhar nas atitudes de Steve Rogers e o que ele representa para a comunidade dos super-heróis. Mesmo em Guerra Civil, quando estava no lado dos rebeldes e visto como vilão pela população, não podemos dizer que ali ele era um exemplo dessa reviravolta, já que quando percebeu o erro se entregou para a polícia.

Contudo, sua atual versão, após ser rejuvenescido pelo Cubo Cósmico (uma longa história), Steve Rogers voltou à ativa como Capitão América. Mas o que foi revelado ao público era que o herói, o grande herói da Marvel, sempre foi um agente duplo da HYDRA! Ou seja, todas as suas ações até então foram pautadas por um plano sinistro do Caveira Vermelha.

Sim, depois é revelado que a entidade do Cubo Cósmico está seguindo as ordens do Caveira Vermelha e implantou memórias falsas no herói, mas, ele age como se fosse real, portanto, ele virou mesmo um vilão.

Hal Jordan

Mas antes disso tudo a DC Comics transformou um dos seus principais heróis da casa, o Lanterna Verde, em um dos maiores vilões da editora – foi bem trágico por sinal. Hal Jordan fazia parte da Liga da Justiça e após a destruição da sua cidade natal pelo vilão Superman Cyborg, ele tentou reconstruir o local com o poder do seu anel. A tarefa exigia muito de seus poderes e o ato que ele estava perpetrando, como uso pessoal, chamou a atenção dos Guardiões que exigiram sua presença para julgamento.

Enlouquecido pela dor, o herói resolveu atacar seus superiores que não se importavam com sua perda. No final de seu ataque não sobrou nenhum membro da Tropa dos Lanternas Verdes e nem os Guardiões. Ele colecionava os anéis dos derrotados e absorveu a energia da Bateria Central. Ao final de tudo ele ressurgiu como o vilão Parallax e tentou mudar o passado, mas os maiores heróis da Terra conseguiram impedir o feito. Mais tarde ele se redime ao se sacrificar para salvar nossa galáxia. Mais tarde descobriu-se que o herói não havia ficado simplesmente louco, e sim havia sofrido uma influência maligna da entidade Parallax.

Booker DeWitt

Os jogos de videogame também trazem essa mudança nos personagens – seja alguém de uma franquia de sucesso que se tornou do mal, ou com uma reviravolta no final da trama. Neste caso em específico estamos falando do protagonista de Bioshock Infinite.

A trama do jogo envolvia viagens no tempo e diversos mundos paralelos com diferenças drásticas ou menores entre si. Na realidade de Booker ele é um detetive particular que precisa encontrar uma garota e acaba indo parar na cidade flutuante de Columbia. Lá ele se vê no meio do combate de duas forças políticas, com o Padre Comstock utilizando a jovem Elizabeth para usar seus poderes.

No final, aliado a Elizabeth, Booker descobre que ele é o Padre Comstock de outra dimensão, só que no caso dele ele recusou o batismo e não virou o fanático que usa dos poderes de Elizabeth. A única forma de impedir a existência dessa versão dele que utilizará as viagens de dimensão é acabando com todas elas, voltando no tempo antes do batismo de Booker e matando todas as versões afogadas.

Anakin Skywalker

Na primeira trilogia de Star Wars a figura de Darth Vader era o grande vilão ativo dos filmes e depois ligamos os pontos sobre sua história, como o pai de Luke Skywalker que se rendeu ao lado obscuro da Força. Mas a partir da nova trilogia sua história é contada, com a imaginável figura criança de Darth Vader, como Anakin Skywalker.

A história do herói Anakin é mostrada através de filmes e do desenho animado Guerras Clônicas e sua transformação envolve tanto a corrupção do poder como o desespero de salvar um ente querido. Mesmo sendo um vilão percebe-se a vontade de não querer matar os heróis, tentando manipulá-los para se juntar à ele ou até mesmo sentenciando seu futuro genro a prisão de carbonita ao invés de executá-lo.

Jean Grey

Tanto nos filmes como nos quadrinhos a personagem dos X-Men é uma das mais poderosas mutantes do universo Marvel. Contudo, a força Fênix Negra tornou a mulher ainda mais poderosa – nos quadrinhos era uma entidade que se ligou a ela após a saga da Fênix Negra em uma das aventuras em Shiar. No desenho seguiu caminho parecido e nos filmes ela se tornou completamente má, por ser na verdade uma personalidade extremamente forte que Charles Xavier (Patrick Stewart) aprisionou dentro da mente da mutante.

Em ambos os casos, quando a Fênix Negra tomava conta, seus poderes mataram até mesmo bilhões (nos quadrinhos ao destruir o sistema solar D’bari). Seguindo o nome da entidade, a personagem se sacrificou ou foi morta para logo depois ressurgir das cinzas como uma nova Jean Grey. Seguindo o mesmo exemplo de Hal Jordan, mas neste caso consciente do que estava acontecendo, ela virou uma vilã sem querer, forçada e vencida mentalmente por uma entidade que se apossou de seu corpo.

Adrian Veidt

Em Watchmen, que trabalha muito com flashbacks, o personagem de Adrian Veidt é o mais bem sucedido dos vigilantes como Ozymandias. O herói trabalhou para deter criminosos e apoiou a ideia de criar um grupo de vigilantes, para que de forma mais eficiente, combatessem o crime.

Por ser o homem mais inteligente do mundo, ele logo percebeu que essa visão micro de combate ao mal não funcionaria e ele teria que fazer escolhas terríveis para o bem maior e evitar o fim do mundo.

Ao descobrirem que Adrian manipulou tudo e todos para que seu plano desse certo, com inúmeras mortes, os heróis o taxaram como vilão. Mas sua lógica de um bem maior convenceu Dr. Manhattan que, se seu plano fosse revelado, os sacrifícios seriam em vão. Teria ele se tornado um vilão tão bem sucedido que conseguiu evitar que seu plano fosse desmantelado ou ele apenas se colocou acima de Deus e decidiu ser um herói completo e decidir o destino da humanidade para um bem que ele acha o mais certo?

Leonard

O filme Amnésia nos apresenta a um trágico herói com um problema de memória curta. Sua saga é narrada começando pelo presente e voltando ao passado, demonstrando os efeitos de sua busca pelo assassino de sua mulher. Infelizmente ele só pode acreditar nas tatuagens que ele mesmo faz no seu corpo, seguindo essas pistas para chegar até o culpado.

Contudo, ao final do filme, descobrimos que o herói já havia conseguido fazer justiça com as próprias mãos, mas não se lembrava. Ao lidar com essa verdade ele acaba se tornando um vilão, ao forjar uma tatuagem que o leve a incriminar seu parceiro e transformá-lo no assassino de sua mulher.

Michael Corleone

O terceiro filho de quatro filhos de Vito Corleone em O Poderoso Chefão, Michael não queria se envolver nos negócios da família. Seu pai também queria isso, tentando colocá-lo na política – e provavelmente usando-o nos negócios da máfia mais tarde. Contudo, o filho se alistou na Marinha e foi lutar na Segunda Guerra Mundial, se tornando um herói nacional.

Sua volta gloriosa pegou um caminho tortuoso, sendo obrigado a entrar na máfia, começando com um assassinato e depois se tornando o próprio Don da família Corleone. Ele orquestrou o assassinato dos membros das outras famílias que poderiam trair ele e maquinou para que o império Corleone se tornasse legal.

Por se tratar de um mafioso e suas decisões envolverem mortes para continuar com atividades criminosas, ele se encaixa no herói que virou vilão por necessidade, mas ainda sendo egoísta pois sua mudança de índole envolve exclusivamente o bem estar de sua família, não importa como.

Harvey Dent

Vamos fechar essa lista com o homem que falou a frase de efeito. No filme mais recente sua transformação é bem trágica, já que nos de Joel Schumacher foi apenas um flashback e nos quadrinhos e desenhos animados ele não chegou a ter um fim definitivo.

Em O Cavaleiro das Trevas ele é demonstrado como um verdadeiro herói, já que enfrenta os criminosos sem quase nenhum tipo de proteção e mesmo assim continua seu trabalho. Quando ele perde tragicamente sua namorada e metade de seu corpo, ele é afetado psicologicamente com toda a tragédia. Ele cria uma concepção deturpada de bem e mal, achando que ou existe o certo ou existe o errado.

Ele então vira o vilão que sentencia a morte suas vítimas caso o “acaso” da moeda decida que seja dessa forma. Você pode perceber que há ainda bondade nele, pois antes de decidir se o filho de Gordon (Gary Oldman) merecia morrer, ele joga a moeda para ele mesmo antes, ou seja, se a moeda decidisse que ele tinha que morrer, ele se mataria e não precisaria colocar a vida da criança em risco. Ele morre como vilão, mas seus amigos tornam sua morte como a de um herói, um herói que ele foi até então em vida.